Rodoviária de Campinas – Um pouco do interior paulista.

Rodoviária de Campinas – Um pouco do interior paulista.

Introdução

A princípio temos uma das maiores não capitais do Brasil, localizado no interior do Estado de São Paulo. Acima de tudo a sua localização estratégica contempla importantes rodovias e sua proximidade com a capital paulista favorece inúmeras ligações rodoviárias. Em síntese a cidade por anos teve problemas decorrentes a uma rodoviária condizente com porte do município de mais de 1.000.000 de habitantes.

Por fim a rodoviária de Campinas teve duas fases, assim como, duas localizações distintas. Anteriormente a cidade tinha a Estação Rodoviária Dr° Barbosa de Barros e atualmente tem o Terminal Multimodal Ramos de Azevedo. Pouco antes a antiga rodoviária ficava no bairro de Botafogo, hoje as ligações regionais, estaduais e interestaduais partem da Vila Industrial.

Apesar de destacar as duas fases da rodoviária de Campinas vale ressaltar que há poucos registros das antigas instalações. Acresce que a fase antiga da rodoviária é baseada em experiências de viagens do autor da postagem. Ainda por cima a fase atual da rodoviária é mais detalhada inclusive com informações das importantes localidades atendidas por Campinas.

Em seguida expõe sobre como era a rodoviária de Campinas com olhar de uma cidade apontando como sede de região metropolitana.

Parte 1 – Rodoviária de Campinas – Um pouco do interior paulista. Estação Rodoviária Dr° Barbosa de Barros

Em primeiro lugar a Estação Rodoviária Dr° Barbosa de Barros localizava na Rua Barão de Parnaíba, 690 – Bairro Conceição (Botafogo). Só para ilustrar a rodoviária era acessada pela Avenida Barão de Itapura e próximo a um importante de Campinas – Avenida Lix da Cunha.

A saber que as instalações de embarque/desembarque tinhas as seguintes características:

Plataformas de piso único: Em resumo os ônibus estacionavam em fila apenas com marcação de solo. Se bem que os passageiros embarcavam/desembarcavam nas plataformas com acesso facilitado as ruas aos redores.

Plataformas menores: Por outro lado cabia um único ônibus e eram destinados para viagens regionais com pouca duração, sendo ocupadas até por linhas metropolitanas.

Feriados prolongados/Datas comemorativas: Com toda a certeza era o maior problema da antiga rodoviária de Campinas. Como resultado do aumento da oferta e consequentemente oferta de carros extras o espaço não dava conta do movimento de ônibus/passageiros. Visto que eram apenas 12 (doze) plataformas para operação.

Segurança: Conforme mencionado, o acesso as plataformas eram facilitados, de quem vinha/vai para os arredores e oferecia certos riscos a segurança para trabalhadores/passageiros.

Antes de mais nada com crescimento da cidade e os problemas apontados a administração municipal mudou a rodoviária em 2008. As instalações foram implodidas em 2010 e só restou lembranças neste local que abrigou por muitos anos a rodoviária de Campinas.

Parte 2Rodoviária de Campinas – Um pouco do interior paulista. Terminal Multimodal Ramos de Azevedo

Inegavelmente teve um salto de qualidade com a inauguração da nova rodoviária de Campinas em 04 de Junho de 2008. Certamente muitas mudanças positivas foram feitas, na qual destaca-se:

Aumento da capacidade operacional: Enquanto a rodoviária antiga ofertava 12 plataformas, a atual oferece 40. Por curiosidade ocupada em sua a maioria pela Viação Cometa, Santa Cruz e Grupo Belarmino (Lira Bus, VB Transportes, etc).

Plataformas no piso inferior da rodoviária de Campinas

Segurança e infraestrutura ao passageiro: Sem dúvida são dois fatores que resultaram numa melhora significativa deste espaço para passageiros do modal rodoviário. As plataformas são de acesso restrito para quem vai embarcar e desembarcar (piso inferior). Os guichês das empresas de ônibus, balcão de informações, sanitários, complexo de lojas e alimentação encontram-se no piso superior. Em contraste com a rodoviária antiga o prédio tem mais luminosidade natural.

Visão externa da rodoviária de Campinas

Separação das linhas metropolitanas: Com a criação do Terminal Metropolitano Prefeito Magalhães Teixeira, ao lado da nova rodoviária, muitas linhas foram separadas das estaduais/interestaduais. Por certo é um problema recorrente em muitas cidades de grande porte, como a cidade de São José do Rio Preto.

Terminal Metropolitano antes da inauguração

Menor impacto em relação a localização: Não apenas fica a menos de 1 quilômetro da antiga rodoviária, como também de fácil acesso pela Avenida Lix da Cunha. Nesse sentido facilita a entrada/saída dos ônibus não perdendo tempo de acesso, principalmente ônibus em trânsito.

Além disso temos inúmeras ligações rodoviárias importantes que partem/passam pela cidade de Campinas, na qual serão apresentadas no próximo tópico:

Parte 3 Rodoviária de Campinas – Um pouco do interior paulista. Ligações rodoviárias

De acordo com órgãos reguladores: estadual (ARTESP) e federal (ANTT), as ligações rodoviárias mais importantes com seção/partem de Campinas são:

3.1 – LIGAÇÕES REGIONAIS e ESTADUAIS:
  • SÃO PAULO (CAPITAL): VIAÇÃO COMETA e VIAÇÃO SANTA CRUZ

  • AEROPORTO INTERNACIONAL DE GUARULHOS e VIRACOPOS: LIRABUS

  • JUNDIAÍ: LIRABUS

  • ATIBAIA e REGIÃO: VIAÇÃO ATIBAIA

  • MOGI MIRIM/MOGI GUAÇU/CAMPINAS/ÁGUAS DA PRATA: VIAÇÃO COMETA e VIAÇÃO SANTA CRUZ

  • PIRACICABA: PIRACICABANA

  • BAIXADA SANTISTA (SANTOS, SÃO VICENTE e PRAIA GRANDE): VIAÇÃO COMETA

  • VALE DO PARAÍBA e LITORAL NORTE: PÁSSARO MARRON E LITORÂNEA

  • CIRCUITO DAS ÁGUAS: EXPRESSO METRÓPOLIS e RÁPIDO FÊNIX

  • RIBEIRÃO PRETO: VIAÇÃO COMETA

  • ARARAQUARA: EMPRESA CRUZ, VIAÇÃO COMETA e VIAÇÃO DANÚBIO AZUL

  • SÃO JOSÉ DO RIO PRETO: VIAÇÃO COMETA

  • VOTUPORANGA e REGIÃO: EXPRESSO ITAMARATI

  • ARAÇATUBA e REGIÃO: REUNIDAS PAULISTA

  • PRESIDENTE PRUDENTE e REGIÃO: ANDORINHA

  • MARÍLIA e REGIÃO: EXPRESSO ADAMANTINA e GUERINO SEISCENTO

  • BAURU e REGIÃO: EXPRESSO de PRATA

  • SOROCABA e ITAPETININGA: LIRABUS

  • AVARÉ/OURINHOS e REGIÃO: EMPRESA MANOEL RODRIGUES

3.2 – LIGAÇÕES INTERESTADUAIS:
  • RIO DE JANEIRO (RJ): VIAÇÃO COMETA e VIAÇÃO ÚTIL

  • BELO HORIZONTE (MG): EMPRESA GONTIJO, EXPRESSO GARDÊNIA e VIAÇÃO COMETA

  • CURITIBA (PR): EXPRESSO TRANSPEN (VIA SOROCABA)e EXPRESSO TRANSPORTES (VIA SÃO PAULO)

  • FLORIANÓPOLIS (SC): AUTO VIAÇÃO CATARINENSE

  • PORTO ALEGRE (RS): VIAÇÃO KAISSARA

  • CAMPO GRANDE (MS): EMPRESA ANDORINHA e VIAÇÃO MOTTA

  • GOIÂNIA (GO): CATEDRAL TURISMO, EXPRESSO TRANSPORTES, REAL MAIAe RODEROTAS

  • BRASÍLIA (DF): CATEDRAL TURISMO, RÁPIDO FEDERAL, REAL EXPRESSO

  • NORTE DO PARANÁ (LONDRINA, MARINGÁ, CAMPO MOURÃO, ETC): EXPRESSO NORDESTE e VIAÇÃO GARCIA

  • FOZ DO IGUAÇU (PR): EXPRESSO NORDESTE e VIAÇÃO GARCIA

  • POÇOS DE CALDAS (MG): VIAÇÃO COMETA e VIAÇÃO SANTA CRUZ

  • UBERLÂNDIA (MG): CATEDRAL TURISMO, EXPRESSO TRANSPORTES,REAL MAIA e RODEROTAS

Com a finalidade de divulgar ao passageiros os principais destinos, bem como empresas prestadoras, uma dica importante: Consulte as empresas de ônibus mencionadas para informações sobre horários, preços, disponibilidade de assentos, etc.

Mediante o exposto segue para as pontuações finais diante das informações publicadas nesta postagem.

Pontuações finais.

Em síntese foi abordado nesta postagem duas fases da rodoviária de Campinas: Na sua fase mais antiga em que a mesma não acompanhou o crescimento de uma cidade que transformaria em uma das maiores do Brasil.

Em vista disso uma nova e moderna rodoviária foi construída tendo um terminal metropolitano do seu lado separando os dois tipos de atendimento. O mais importante é que foi mencionado as cidades/regiões que são atendidas por linhas que realizam seção/partem de Campinas.

Rodoviária de Campinas – Um pouco do interior paulista. Saiba mais informações sobre a rodoviária dessa importante cidade paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.